Oficina sobre Ética Hacker

Eu tenho o privilégio de ser chamado a dar palestras e me perguntam: Sobre o que você quer falar? É a deixa pra eu ir atrás de assuntos que estão me chamando a atenção à época. Sugiro um título e, ninguém sabia até agora, vou atrás de informação pra preparar a palestra. Essa do título eu já havia lido o livro de mesmo nome. E também no início dos 2000, eu e meu amigo Hernani marketinghacker Dimantas, já havíamos discutido muito a respeito. O convite foi pra palestrar para uns jovens especializados em wordpress, num evento na Funarte. Meu receio é que:
1. Eles fossem tão jovens que o assunto nem chamasse a atenção pela mesmice.
2. Eles fossem tão jovens que o assunto nem tivesse passado pela cabeça deles.
3. Eu fosse tão velho que estaria ensinando o padre nosso ao vigário.

Pra minha surpresa, quem apareceu por lá se interessou e muito pelo assunto. Já sabiam que hacker é diferente de cracker (ufa!), mas não tinham ouvido falar muito dos primórdios da internet e da existência de uma ética própria, pautada pela colaboração, reputação e gentileza.

Foi um encontro divertido. A foto eu acho genial (e é do Rogerio “matofino” Costa), me lembra uma cena medieval, com um senhor (no caso eu) evangelizando jovens para mudar o mundo.

Discutimos sobre algo muito além dos bites e cabos. Falamos sobre o que está em jogo na internet, o exercício da liberdade, a eliminação das hierarquias e a desobstrução dos fluxos. Falei sobre linkania, sobre a blogosfera e o mar de flores,  e conversamos muito sobre generosidade e gentileza que gera gentileza.

Eu gostei muito desse encontro. Estava previsto para palestrar em um auditório, mas cheguei mais cedo e encontrei essa sala de exposição meio deserta, com uma espécie de “instalação” no meio, parecendo uma sala de estar. Perguntei aor organizadores se poderíamos juntar mais cadeiras e fazer lá a conversa. Deu nisso que a foto mostra (A foto não é incrível?). Foi lindo.

Inscreva-se para receber conteúdos exclusivos

em primeira mão!