Servimos bem para servir sempre

O padeiro que sabe das coisas. Mudam os tempos, mudam os planos, mas o que não muda é a vontade de servir bem aquele pão fresquinho.

São mais de quinze anos trabalhando como consultor. Então resolvi me reinventar. Estou bolando algumas coisas bacanas que em breve conto aqui. Coisas beeem bacanas. Mas isso falo outro dia.

Também é o ano onde lançarei 2 novos livros meus. Pedaços deles você encontra por este site. É também o ano em que consolido um formato testado e aplicado em diversas organizações. Nesses anos muita coisa boa aconteceu e eu me sinto feliz e singelamente orgulhoso (se é que isso existe) em ter participado na ampliação dos recursos e na inteligência e fidelização dos relacionamentos de várias ONGs. Fiz e faço tudo isso porque acredito na defesa de causas.

E esse mote que me fez repensar minha atuação para os próximos anos. Há muito pra se trabalhar quando pensamos em causas. Os mais recentes trabalhos que fiz geraram demandas novas. Como sempre, caí de cabeça nos estudos e experiências pra contruirmos juntos esses novos desafios. Aproveitei então o fim de ano pra modelar essas novidades em formatos facilitados de serviços. São consultorias de curto prazo, para resultados duradouros. Desta forma fica bom pra mim e pras instituições que me contratam. Conto um pouco sobre esses novos trabalhos:

# Governança Consultiva
– Várias vezes fui chamado para trabalhos que se resolviam com um par de encontros. Eram discussões profundas, desatadoras de nós institucionais. Um consultor com más intenções inventaria um projeto complexo, pra faturar horas desnecessárias. Quem trabalhou comigo sabe que não é do meu feitio. Precisamos de duas reuniões? Assim será. Temas sobre governança se resolvem com diálogos muito focados, com os decisores engajados. Os resultados são decisões claras a serem tomadas. E são tomadas.

# Planejamento Tático
– Não estou negando a importância dos processos de Planejamento estratégico, ok? Mas nestes últimos anos eu percebi o quanto esses processos longos geraram amarras. Ou em casos piores, eram engavetados. O planejamento tático consiste em algo mais singelo mas não menos ousado: averiguar quais os caminhos importantes a serem tomados no curto prazo, quais os objetivos e resultados esperados e quais as métricas de averiguação. É uma metodologia bastante simples, focada em ações objetivas. A metodologia tem sido muito usada por equipes de desenvolvimento de software e já usei em uma dezena de organizações. Útil pra organizações que buscam adicionar novas ações ao seu trabalho cotidiano.

# Mobilização e Comunicação com Aliados
– Este serviço não é exatamente novo. Foi só aprimorado para um foco (que sempre dei) a indivíduos. Separei-o da consultoria padrão para oferecer um serviço para aquelas organizações que já estão com um sistema de captação e mobilização de recursos bastante avançado mas querem aprimorar ou iniciar ações de ativação de aliados. É um trabalho que adoro fazer, geralmente em conjunto com agências ou bureaus de comunicação. Trata-se de aliar criatividade com resultados financeiros. Com novos e cada vez mais aliados.

# Gestão de Mudança Organizacional
– Tudo muda. Precisa dizer mais?

# Mediação e Facilitação
– As vezes o que falta é um olhar de fora. Encontros, reuniões de planejamento, processos em andamento ou mesmo a resolução de ações que envolvem várias pessoas. Tenho atuado informalmente nesse tipo de trabalho e acabei por desenvolver um jeito de fazer a coisa. Gostam muito, e eu também. A diferença é que agora isso virou um produto bem acabado. Flexivel, simpático e bem feito. Como deve ser.
– E então, quantos vai levar freguesa?

Inscreva-se para receber conteúdos exclusivos

em primeira mão!